Glossário

O objectivo desta página é clarificar alguns termos técnicos relacionados com o web design. Esperamos que ajude.

Alojamento
O alojamento é um serviço de aluguer de um servidor (ou quota de espaço num servidor), prestado por uma empresa especializada. Este serviço geralmente inclui serviço de assistência e manutenção técnica (actualização do software do servidor e é geralmente pago mensal ou anualmente. A Surreal não costuma fazer alojamento salvo em casos muito específicos. Contudo, ajudaremos sempre no processo de registo/transferência de alojamento e domínio, lidando em seu nome com parceiros de confiança mas deixando sempre todos os registos de propriedade em seu nome.
Backoffice
Ver cms.
Basecamp
O Basecamp é um software de gestão de projectos. Imagine que o seu email se torna muito mais organizado, mostrando apenas as mensagens que troca connosco, arquivando todos os ficheiros que nos enviou e que lhe enviamos. Agora pode parar de sonhar e entrar no Basecamp e vai ver que não tem nada que saber. Para além disso terá contacto directo com a equipa sempre que necessário, dando e recebendo informação em primeira mão, para tornar todo o processo mais célere. Para aceder ao seu projecto clique aqui.
Browser
O programa/software que lhe permite aceder à Web. Por exemplo o Firefox ou o Google Chrome, o Safari ou o Internet Explorer. Estes dois últimos são o standard que vem com o seu computador Apple e Windows, respectivamente. É aconselhável que tenha sempre a versão mais actual do seu browser de forma a garantir, entre outras vantagens, maior precisão visual com o que o Web Designer idealizou. Se costuma usar o Safari ou o Internet Explorer aconselhamos que experimente uma alternativa pois será certamente mais rápida e mais segura.
CTA (Call-to-action)
"Drink me", dizia o frasco da Alice no País das Maravilhas. Se a história fosse hoje em dia seria um botão a dizer "Press me" que figuraria na história. Uma call-to-action é uma instrução feita para incitar à acção do utilizador. Geralmente em forma de um botão, de um link ou de um formulário com um verbo imperativo no texto. E, quando bem usado, é a forma ideal de darmos uma função e um objectivo a uma página.
CMS (Content Management System)
Um CMS (comummente chamado de Backoffice) é o sistema de gestão de conteúdos do seu site. Ou seja, é a parte privada do website onde poderá aceder com a sua password e editar alguns conteúdos do website. Existem sistemas mais avançados que outros que permitem inclusive alterar aspectos visuais das páginas. Contudo isso poderá trazer alguns problemas de desformatação e incompatibilidades. A maioria das pessoas que já construiu um website conhece sistemas comuns como o Wordpress, o Joomla ou o Drupal. Sendo que cada um tem utilizações específicas indicadas e trazem consigo algumas limitações técnicas e criativas.
Cookies
Podiam ser de chocolate mas não estamos a falar dessas cookies. Uma cookie é um dos vários ficheiros que o browser guarda. Neste caso o ficheiro contém dados sobre o visitante e o seu comportamento. Poderá ser algo tão simples como se é ou não a primeira vez que visita o site, até dados que tenha preenchido num formulário do site. Desde Maio de 2011, os países da União Europeia concordaram que é obrigatório informar os visitantes caso o website utilize cookies, numa tentativa de permitir aos mesmos preservar a sua privacidade.
CSS (Cascading Style Sheet)
Traduzido directamente, é uma folha de estilos, ou seja, uma lista das regras visuais de todos os elementos de um website. Por exemplo, os links são por defeito azuis e sublinhados. Com CSS podemos indicar que passam a ser vermelhos, sem sublinhado e em negrito.
Debugging
Literalmente, remover insectos. Excepto que neste caso não são bugs verdadeiros. Um bug é um erro de programação. Debug é o processo de encontrar e corrigir esses erros. Atenção que por vezes estes erros apenas se manifestam em determinadas condições e nem o programador mais experiente os poderá prever!
Deployment
O processo de colocar o site no servidor. Poderá ser o servidor final ou um servidor de testes (um servidor de staging).
Desktop
Ver responsive.
Development
Em inglês a palavra é usada muitas vezes com o mesmo significado que programação.
Domínio
Na internet, um domínio é o nome que identifica um servidor ou conjunto de servidores. É um endereço simples que termina com um ponto e uma extensão, como por exemplo, .com ou semelhante. O registo de domínios é feito por entidades como o FCCN em Portugal.
HTML
O HTML é a linguagem principal que se usa ao construir-se uma página web. Não é uma linguagem de programação mas antes uma linguagem de estruturação. Isto porque o seu único propósito é dar significado ao conteúdo do seu site e indicar de forma muito básica a ordem do mesmo. O papel de depois interpretar este código é feito pelo browser que tem indicações prévias default (por defeito) sobre como renderizar cada elemento e sobre como cada um deve aparecer. Todas as indicações visuais que um programador dá sobre como o site se deve parecer são dadas através do CSS em cima desses defaults.
Interface
A palavra interface pode significar muita coisa mas no contexto da Web geralmente significa um Graphic User Interface, ou seja, um conjunto de elementos gráficos com os quais um utilizador pode interagir com o website, software ou ferramenta web.
Holding Page
Uma página temporária, usada muitas vezes para indicar que um website está em construção e deixar essa e outra informação no seu lugar.
Landing Page
Uma página criada com o propósito de ser um ponto de entrada no site. Por este motivo, poderá muitas vezes conter informação de destaque ou específica para o utilizador que aqui chega, no sentido de o encaminhar para o resto do site ou então de simplesmente terminar uma acção nessa página.
Laptops
Ver responsive.
Layout
A palavra layout pode significar várias coisas, no seu significado original em inglês. Geralmente significa a forma como os elementos gráficos (texto, imagens, outros) estão dispostos numa página. Contudo, aqui na Surreal, referimo-nos muitas das vezes à composição gráfica final que desenhamos do site e que ilustra tal e qual o seu aspecto final.
Marvel
O Marvel é um software que permite carregar as páginas do site desenhadas por um web designer (ainda em formato de imagem) e criar um protótipo em que é possível clicarmos em pontos da página (hotspots) e simular a navegação dentro do site. A ferramenta é sobretudo útil para termos a percepção do site enquadrado dentro do browser e de como o mesmo oculta a informação antes de fazermos scroll.
Renderizar (render)
O acto de renderizar é o processo através do qual um software "desenha" uma imagem digital ou, neste caso, um website. Ou seja, é a interpretação do código escrito pelo programador em formas e texto formatado. Neste caso em particular, é importante saber que a interpretação do código poderá ser ligeiramente diferente por cada browser. Apesar de existirem normas definidas, alguns browsers são famosos por interpretarem as regras de forma ligeiramente diferente, mostrando resultados diferentes dos restantes, sendo o Internet Explorer o caso mais comummente mencionado.
Responsivo (responsive)
Um site responsivo é um que é capaz de se adaptar ao tamanho do dispositivo usado, seja este um computador de secretária (ou desktop, geralmente com ecrãs de 21 polegadas ou mais), um computador portátil (laptop, geralmente com ecrãs de 13, 15 ou 17 polegadas), um tablet (5-10 polegadas) ou um smartphone (4-5.5 polegadas). Num site responsivo, é comum que os elementos apresentados numa página serem os mesmos independentemente do dispositivo utilizado, sendo a disposição e a estrutura da página que varia consoante o espaço disponível. É também comum que se façam adaptações ao tamanho do texto e outros elementos, consoante a distância comum a que um utilizador segura o dispositivo, de forma a optimizar a leitura.
Servidor
Um servidor não é mais que um computador, tal como os nossos, com algumas diferenças práticas. A principal é que, enquanto o nosso está geralmente com o browser aberto a tentar receber informação, o servidor está do outro lado "da linha" a aguardar os nossos pedidos para depois "servir" essa informação. Na realidade, quando tentamos aceder a um determinado URL, esse endereço leva-nos até a um servidor e indica-lhe exactamente o que queremos consultar. Geralmente o servidor é um animal simpático o suficiente para nos responder sempre ao pedido.
Sitemap
O mapa do site é, tal como o nome indica, um documento ou página que nos permite termos uma visão geral do site inteiro. O mesmo pode ser produzido logo no início do projecto, para ajudar a determinar a escala e estrutura, ou pode existir como uma ferramenta de ajuda a quem visita o site. Esta última opção é, na nossa opinião, desnecessária e desactualizada pois, na realidade, será sempre preferível se o site estiver bem construído o suficiente para que o utilizador consiga encontrar o que procura rapidamente. Para nós é muito mais relevante usarmos o sitemap enquanto exercício que desenvolvemos com os nossos clientes nas primeiras reuniões, de forma a termos um melhor entendimento das expectativas do cliente.
Staging
O ambiente de staging é um endereço no servidor (geralmente privado) onde é colocada uma versão do website para testes. Esta é geralmente uma versão incompleta que representa o ponto mais actual dos trabalhos de programação do mesmo.
URL (Unique Resource Locator)
O endereço único de cada página web. Podemos colocar este endereço directamente no browser de forma a pedir-lhe para abrir uma determinada página, sendo que o mesmo é composto pelo protocolo (http://) pelo domínio e poderá ter ainda indicações sobre que página em concreto abrir, bem como outros detalhes específicos que são passados ao servidor.
WAX
Web Fonts
Wireframes